16/03/2016

O que vivo, não vivo ou deixo de viver acaba por se transformar em poesia.

Sem comentários:

Enviar um comentário