21/05/2014

Odeio algo concreto, quando o mundo é uma subjetividade contínua, sem alguma interrupção concreta.

Sem comentários:

Enviar um comentário